De Imbituba, Bananinha mostra história na televisão


Postado em 01/10/2018 às 14:00 por Rinalda Zago


Foto: Divulgação

No último sábado, o mistério sobre a participação de Leandro Elias, o professor Bananinha, no programa Caldeirão do Huck, foi revelado. Após gravações no Brasil e no exterior, o programa da Rede Globo teve como foco principal a vida e o projeto social realizado pelo surfista de Imbituba, na Praia do Porto. 

O projeto “Educar para a vida” existe há 18 anos e já formou mais de 1.500 jovens atletas através de aulas de surf. A maioria dos participantes tem entre cinco e 15 anos de idade. E boa parte das crianças e adolescentes tem algum histórico de vulnerabilidade social. Hoje, o projeto “Educar para a vida” sobrevive com a ajuda da comunidade. 

“Com o projeto, consigo ficar mais perto das crianças, cobrando o desempenho escolar para ajudar a tirá-las das drogas”, falou Bananinha durante o programa. O desempenho escolar é o único requisito para que as crianças e adolescentes participem da escolinha.

O programa também mostrou a viagem de Bananinha aos Estados Unidos para conhecer a piscina com a “onda perfeita” de um dos maiores surfistas de todos os tempos, Kelly Slater. “Quando comecei, nunca imaginei essa experiência de vida, aqui na piscina do Kelly. Não tenho palavras para descrever o que estou sentindo”, disse o surfista catarinense. Além disso, Bananinha teve um bate-papo com campeões mundiais, como Mineirinho e Medina. 

Durante todo o material levado ao ar, Huck destacou a importância do projeto realizado pelo professor. As primeiras gravações aconteceram ainda no mês de agosto, em Imbituba. Já a viagem para a Califórnia foi realizada neste mês.


PROJETO SOCIAL

Já no palco, Luciano Huck e o ator Wladimir homenagearam Bananinha e presentearam o professor com diversos itens para a casa dele, como sofás, televisor, computadores e projetor. É em casa que Bananinha repassa a parte teórica aos alunos do projeto. A escolinha de surf também ganhou pranchas e outros materiais. 

Ao final da participação, Bananinha recebeu uma prancha autografada por Slater e uma caminhonete, que será usada no projeto social. As aulas acontecem três vezes por semana, sempre às terças, quintas e sábados, das 14h às 16h. O “Educar para a vida” também abre espaço para crianças e adolescentes autistas, cadeirantes, surdos-mudos e com Síndrome de Down.

Fonte:  Diário do Sul


Carregando...

www.000webhost.com