Projeto proíbe uso da rede de emalhe


Postado em 07/11/2018 às 09:13 por Rinalda Zago



Foto: Elvis Palmas

A Câmara de Vereadores de Tubarão aprovou, na última sessão, o projeto de lei que proíbe a pesca com redes de emalhe no Rio Tubarão. A medida torna mais rígida a proteção aos botos pescadores na região. Laguna também conta com uma lei parecida, sancionada pelo prefeito em julho deste ano. 

A lei, de autoria dos vereadores Pepê Collaço e Gelson Bento, foi aprovada na noite da última segunda-feira, com dispensa da redação final, e entra em vigor assim que for publicada. A necessidade de uma mobilização regional quanto ao assunto começou a ser discutida em julho, após o aparecimento de botos pescadores na região. 

Na época, vereadores de Tubarão, Laguna e Capivari de Baixo reuniram-se com representantes dos pescadores, da Polícia Ambiental e do Instituto Ambiental Boto Flipper para avaliar medidas que protegessem os animais, de importância fundamental para o meio ambiente e para a economia local. 

A lei municipal não se aplica a tarrafas, linhas e demais modalidades de pesca. Quem for flagrado infringindo receberá as sanções penais e administrativas previstas em lei. À prefeitura caberá promover campanhas de conscientização e fiscalizações.

“Os botos pescadores são patrimônios de nossa região e precisamos buscar meios para protegê-los. A responsabilidade não é apenas de Laguna, onde eles se concentram, mas também dos municípios vizinhos. Além de defender o meio ambiente, estaremos defendendo o nosso turismo”, destaca o presidente da Câmara, Pepê Collaço.


EM LAGUNA

Aprovada por unanimidade na Câmara de Laguna e sancionada pelo prefeito do município no começo do segundo semestre deste ano, a lei proíbe no Rio Tubarão, em território lagunense, o uso de redes de emalhe. 
Pelo menos oito botos foram encontrados mortos na região em menos de dois anos. Laguna conta hoje com cerca de 250 pescadores que vivem exclusivamente da pesca do boto.

Fote: Diário do Sul

 

Carregando...

www.000webhost.com