Região pode ter até duas praças de pedágio


Postado em 16/10/2018 às 08:36 por Rinalda Zago


Foto: Divulgação

A primeira das três audiências públicas que vão tratar sobre a concessão do trecho Sul da BR-101, que aconteceria ontem, em Brasília, precisou ser adiada. O prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli, e o presidente da Acit, Edson Martins Antônio, além do suplente de deputado federal Edinho Bez foram à capital federal acompanhar de perto a apresentação. Na região, devem ser implantadas duas praças de pedágio.

Em virtude de problemas técnicos de energia, a audiência em Brasília foi adiada para o próximo dia 22, mas foram mantidas as datas das outras duas: amanhã, em Florianópolis, e na quinta-feira, em Criciúma. 

Joares Ponticelli e Edson Martins Antônio participarão de todos os encontros. “Independentemente de nossa vontade, isso ocorrerá. O que buscamos é que fique em Tubarão, num dos limites do município, justificando a contrapartida de uma ponte ligando Tubarão e Capivari e tirando o tráfego local entre as duas cidades na BR-101”, explica o presidente da Acit.

Para o prefeito, este acompanhamento é necessário para serem tratadas as questões de localização das praças de pedágio, além de valores. “Vamos acompanhar de perto todas as tratativas, além de fazermos algumas reivindicações, como, por exemplo, a questão dos acessos às marginais, a exemplo da rodovia Ivane Fretta Moreira, e ainda sobre a ponte entre Tubarão e Capivari de Baixo”, reforça. 

Segundo Joares, conforme já anunciado, estão previstas quatro praças de pedágio, sendo duas na região. Uma na divisa entre Laguna e Imbituba; uma na divisa de Tubarão e Treze de Maio e Jaguaruna; outra entre Maracajá e Araranguá e, ainda, uma entre Passo de Torres e São João do Sul.


Total de investimentos

Ao todo, estão previstos investimentos de R$ 4 bilhões nos próximos 30 anos, somando mais de 200 quilômetros entre os municípios de Paulo Lopes e São João do Sul. As audiências são abertas à participação da população, contando ainda com a presença de membros da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), da Fiesc e de lideranças políticas. Na pauta de discussões entram em questão o estudo de viabilidade, as minutas do edital e do contrato e o programa de exploração de rodovias.

Fonte:  Diário do Sul


Carregando...

www.000webhost.com