Região teve só problemas pontuais


Postado em 08/10/2018 às 08:36 por Rinalda Zago


De modo geral, as eleições na região podem ser consideradas dentro da normalidade, segundo a juíza da 33ª Zona Eleitoral, Liene Francisco Guedes. De acordo com ela, houve apenas alguns incidentes pontuais, rapidamente resolvidos.

A juíza eleitoral afirma que a formação de filas foi registrada na maioria dos locais de votação pela junção de dois motivos principais: a primeira eleição com biometria (mesmo não sendo obrigatória em todos os municípios e nem todos os eleitores incluídos neste sistema) e, ainda, o grande número de cargos na disputa eleitoral (cinco, no total). “Com isso, muitos eleitores acabaram levando mais tempo para votar, já que precisavam escolher cinco candidatos”, pontua.
Sobre a biometria, a 
juíza explica que em alguns locais o sistema demorou um pouco mais no reconhecimento das digitais dos eleitores. “Por se tratar de um sistema novo, houve alguma demora na identificação, e, como o sistema pedia até quatro tentativas, não era possível desistir na primeira, tendo que ir até o final. Mas, de modo geral, tudo funcionou a contento”, avalia. “De qualquer forma, terminado todo o pleito, vamos agora analisar todas as questões enfrentadas para melhorarmos todo o sistema para as próximas eleições”, completa Liene. 
O promotor eleitoral Sandro de Araújo destacou ainda que o que chamou a atenção nestas eleições foi o comportamento de muitos eleitores, mais comum em eleições municipais. “Percebi, nos locais de votação que visitei, ocorrências que são mais frequentes em eleições municipais, como aglomeração e boca de urna”, comenta.

Notícias falsas são desmentidas
O promotor eleitoral Sandro de Araújo afirma não proceder a informação que circulou durante o dia de ontem nas redes sociais sobre fraude nas urnas. “O sistema é totalmente seguro e o que houve, em muitos casos, foi que, em caso de uma digitação do número do candidato feito de forma mais rápida e logo em seguida a tecla confirma, a foto realmente não carrega a tempo, mas certamente o voto foi computado corretamente”, garante. 
Em razão destes 
boatos disseminados pelas redes sociais, o presidente e o corregedor do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina esclareceram que a digitação do número do candidato, seguida rapidamente da tecla “confirma”, pode encerrar a votação antes da exibição da foto, sendo o voto, entretanto, contabilizado independentemente da exibição ou não da foto. Juízes e representantes da Justiça Eleitoral compareceram a diversas seções eleitorais em que foram registradas reclamações e constataram que a votação ocorreu normalmente. 
Esclarecem, ainda, que todas as urnas eletrônicas utilizadas são testadas continuamente em audiências públicas sem registro de quaisquer problemas dessa natureza. A Justiça Eleitoral reafirma a segurança e a transparência de todo o processo eleitoral e seu compromisso com a democracia.

Fonte:  Diário do Sul

Carregando...

www.000webhost.com