Vereador dá explicações para comissão processante


Postado em 20/09/2018 às 09:01 por Rinalda Zago


Foto: Divulgação

A fastado de suas funções na Câmara de Laguna, o vereador Antônio César da Silva Laureano (MDB) foi ouvido ontem, durante audiência de instrução da Comissão Processante do Legislativo da cidade. 

Preso desde novembro de 2017, durante a Operação Seival, o edil pode ter o mandato cassado. 

A audiência aconteceu no Fórum de Laguna. A sessão foi presidida pelo vereador Adilson Paulino (PSD). A relatoria é de Rodrigo Luz de Moraes (PR). Também estiveram presentes o membro da comissão Kléber Roberto Lopes (PP) e o autor da denúncia, Roberto Alves (PP). 

Durante a audiência foram ouvidos pela comissão testemunhas de defesa de Laureano. Em seguida, o vereador foi ouvido. Agora, de acordo com o presidente da Câmara de Vereadores de Laguna, Cleosmar Fernandes (MDB),  o processo está aberto para as alegações finais, pelo prazo de dez dias.  Após esse processo, será elaborado o relatório da comissão.

“O texto final será submetido à câmara, que decidirá se absolve ou condena Laureano. Se condenado, o vereador afastado terá o mandato cassado, e deverá perder os direitos políticos por oito anos, e fica inelegível até 2026”, informa o presidente do Legislativo. 

Laureano foi preso durante a Operação Seival, que investiga o possível envolvimento do edil em fraude em licitações de Laguna. Segundo as investigações, o político fazia parte da organização criminosa responsável por frustrar o caráter competitivo de duas licitações mediante o ajuste prévio dos preços ofertados. O vereador teria se licenciado do cargo em 2016 para assumir como secretário municipal.

Tentativa de agressão

Durante a audiência, o vereador Roberto Alves teria sido agredido verbalmente por pessoas que acompanhavam o ato. Um dos membros da plateia tentou agredir fisicamente o parlamentar usando uma muleta.

Fonte: Diário do Sul


Carregando...

www.000webhost.com